Skip to navigation – Site map

O adolescente no cinema brasileiro de ficção 1953-2014

Um guia para estrangeiros
Júlio César Lobo
p. 26-35
Translation(s):
L’adolescent dans le cinéma de fiction brésilien (1953-2014)

Abstracts

O objetivo principal desse artigo é fornecer uma breve aproximação à representação da adolescência no cinema brasileiro de ficção no período de seis décadas (1953-2014), em um corpus constituído por mais de 50 filmes de longa-metragem, tendo como critério de seleção a dramatização dos sintomas mais frequentes trabalhados nas teorias da adolescência: situações de risco e de conflito com a lei, adolescência como regressão, maternidade/ paternidade precoce ou indesejada, o primeiro amor, a descoberta do sexo, a iniciação sexual traumática, rebeldia contra a autoridade parental e o gregarismo. Na parte final, destacamos cinebiografias em que há dramatizações significativas das crises adolescentes pelas quais passaram personalidades contemporâneas da literatura e da música popular massiva, como os escritores Paulo Coelho e Marcelo Rubens Paiva e os roqueiros Renato Russo e Cazuza, os dois últimos criadores mortos precocemente.

Top of page

Full text

Introdução

1Considera-se nesse texto a adolescência e não a juventude (uma classificação sociológica) como um período de ajustamento sexual, social, ideológico e vocacional e de luta pela emancipação dos pais em que se notam a insegurança, a ameaça à ordem estabelecida e à paz familiar. Simulta- neamente a isso ocorre a pubescência, “período de desenvolvimento fisiológico durante o qual as funções reprodutivas amadurecem; é filogenético e inclui o aparecimento das características sexuais secundárias e a maturidade fisiológica dos órgãos sexuais primários”, como define Rolf Muuss, em Teorias da adolescência. Trata-se ainda de um período de transição entre a infância e a vida adulta, sendo que as idades de início e de término em geral são diversas, levando-se em conta dados socioculturais, mas o ponto inicial é sempre a pubescência, em geral aos 11 ou 12 anos. No Brasil, tende-se a trabalhar, nas áreas urbanas, com o período 12-21 anos, intervalo que consideramos majoritariamente aqui. O término da adolescência é marcado também levando-se em conta fenômenos sociais observáveis, como independência financeira, êxito no emprego ou escolha de vocação profissional e casamento.

2Os traços mais presentes da adolescência em termos psicológicos são: reação e rebeldia, como elementos de transgressão, fragilidade de autoestima, depressão, timidez e sensibilidade simultaneamente à agressividade devido ao desequilíbrio no espaço-vital do adolescente. Ele ou ela experimenta, em geral, falta de apoio social, com exceção do seu grupo de companheiros, originando um certo gregarismo, tensões emocionais crescentes devido ao conflito de valores, atitudes e ideologias ao tempo em que, na maioria dos casos, o adolescente busca reconhecimento dos pais como já sendo um adulto.

3O início da presença mais visível da personagem adolescente, seja como protagonista, seja como secundária, no cinema brasileiro, grosso modo, pode ser remontado à segunda metade dos anos 1960 com os filmes mistos de mistério (policial) e musicais em torno da Jovem guarda. No entanto, uma aproximação mais sensível às subjetividades em crise que cercam “aquele que cresce” tem o seu primeiro marco cronológico isolado, no distante ano de 1953, no melodrama pernambucano O canto do mar. O adolescente Raimundo está fora da escola e inserido informalmente no mercado de trabalho. O seu desejo de mudar de vida e migrar para o sudeste do país é acentuado quando ele se apaixona por uma adolescente que, como ele, vive precariamente: ela também não estuda, trabalhando o dia todo em um botequim. Tanto o adolescente protagonista como a sua namorada não convivem com pessoas da idade deles.

Uma tentativa de enquadramento do corpus

4Situações de risco e de conflito com a lei (o adolescente delinquente). Esse cinema do adolescente brasileiro ganhou intensidade com filmes de ação e na resposta do público (bilheteria), títulos relacionados à exploração dramática de situações de risco, obras com fatura diversa em termos de qualidade final, tendo como protagonista o adolescente delinquente. Dentre outros, destacam-se: a) Capitães da areia (1969) narra as aventuras de um grupo de quase uma dezena de crianças vivendo a adolescência inicial na parte baixa da cidade do Salvador, enfrentando a orfandade, a criminalidade e a repressão policial indiscriminada; b) Marcados para viver (1976): três marginais, um menor infrator, uma prostituta e um ladrão levam sua vida de perigos, inicialmente vivendo separados. Encontram-se e resolvem viver juntos, compartilhando o mesmo teto e acabando por envolver-se afetivamente; c) As borboletas também amam (1979): colegial ingênua do subúrbio do Rio de Janeiro reencontra antiga vizinha em Copacabana, que a influencia a levar uma vida adulta – ser prostituta durante a noite; d) Um trem para as estrelas (1987): a coprotagonista da história desaparece misteriosamente, deixando seu namorado sem notícias até que ele vai reencontrá-la presa como traficante; e) Como nascem os anjos (1996): tem protagonistas em faixas etárias diferentes: os adolescentes Maguila e sua “mulher”, Branquinha, de 13 anos, e o pré-adolescente Japa. Devido a um acidente envolvendo o primeiro, eles se veem ao final em confronto com a polícia; f) Cidade de Deus (2002): em que se acompanha a transformação de dois garotos transgressores numa dupla bem sucedida de chefes do tráfico de entorpecentes no Rio de Janeiro ao mesmo tempo em que Buscapé, o narrador da história, em voz over, se insere nos relatos. Isso contribui para termos uma espécie de romance de formação acima da marginalidade; g) Bróder (2010): Macu, morador da periferia de São Paulo, destoa do destino de dois de seus melhores amigos de infância e se torna um sequestrador; h) Capitães da areia (2012): segunda adaptação do romance homônimo de Jorge Amado, destaca as aventuras e desventuras e Pedro Bala, Professor, Gato, Sem-pernas, Boa Vida e Dora que, abandonados por sua família por vários motivos, buscam sobreviver pelas ruas de Salvador; i) Paraísos artificiais (2012): Jovem, após ter sido usado por uma quadrilha baseada em Amsterdã e passado vários anos na prisão no Brasil por tráfico internacional de entorpecentes, tenta livrar seu irmão caçula da iniciação na mesma atividade; j) O som ao redor (2013): tem como um de seus personagens secundários um adolescente, universitário, de família abastada, que se dedica a roubar os equipamentos de som dos carros dos moradoras da vizinhança e tem sua prática delinquente acobertada pelo avô paterno, que mora no mesmo bairro; e l) Nas quebradas (2014): “Até que ponto o passado dos seus pais determina o seu futuro? Quem cresce na marginalidade tem o direito de sonhar e mudar o seu futuro?” Essas são as questões norteadoras do argumento desse filme, protagonizado por dois rapazes e três moças, moradores de uma favela no bairro de Capão Redondo, periferia da cidade de São Paulo.

5Maternidade/paternidade precoce ou indesejada: a) Cidade dos homens (2007): dois amigos de infância fazem 18 anos e encaram as primeiras dificuldades da adultez emergente. Um deles tem um filho de dois anos para criar sozinho. Acostumado à liberdade, sente-se amarrado pelo casamento e lamenta a paternidade precoce. Para o outro, o problema não é ser pai, mas não ter um pai; b) Sonhos roubados (2008), o qual é estrelado por um trio feminino. Conta-se a trajetória de três adolescentes, Jéssica, Daiane e Sabrina, que vivem na periferia da cidade do Rio de Janeiro com famílias disfuncionais, enfrentando dramas relacionados à falta de meios de sobrevivência e, para duas delas, à gravidez precoce e indesejada, sendo que todas as três, em determinado momento, encontram na prostituição uma saída financeira precária. Por outro lado, cada uma delas lida isoladamente com um específico e grave problema pessoal; e c) Confissões de adolescente (2013): a narrativa é centrada numa família chefiada apenas pelo pai, o qual tenta administrar as crises de variadas naturezas vivenciadas por suas quatro filhas, sendo que uma delas enfrenta uma gravidez precoce e indesejada.

6Iniciação amorosa: a) Colégio de brotos (1955): nessa comédia musicada carioca, a principal protagonista feminina é uma aluna interna de um ginásio que se apaixona por um professor 13 anos mais velho do que ela, o que é entendido na psicanálise freudiana como uma “segunda situação edipiana”; b) Inocência (1983): a personagem-título é despertada para o amor por um jovem médico, mas o romance não tem perspectivas uma vez que ela fora prometida em casamento por seu pai, à sua revelia, a um jovem fazendeiro. A história termina em mortes; c) A menina do lado (1987): Mauro é um jornalista de 45 anos que se isola numa casa de praia. No imóvel está Alice, uma menina de 14 anos. Apesar de casado e pai de dois jovens, Mauro fica totalmente seduzido pela menina e se descobre apaixonado. Alice, por sua vez, larga o namorado. Ora pai, ora amigo, ora amante, Mauro perde a dimensão de seu envolvimento com Alice; d) Caminho dos sonhos (1999): se detém na iniciação amorosa de um estudante imigrante judeu pela irmã de seu melhor colega no colégio interno católico, mas focaliza as discriminações sofridas pelo protagonista e por esse colega, o único aluno negro daquele estabelecimento; e) Meu tio matou um cara (2004) ; combina uma narrativa de thriller, sinalizada já pelo seu título, com o drama romântico de um triângulo amoroso entre colegas do curso secundário; f) Houve uma vez dois verões (2002): grupo de adolescentes vive suas primeiras experiências amorosas depois da temporada de verão no litoral, embalados pelo rock e muitas baladas; g) Antes que o mundo acabe (2009): um secundarista de 15 anos enfrenta uma grave crise oriunda do término de seu namoro, e o pior: sua ex-namorada passa a sair com seu melhor amigo, um bolsista, acusado de roubo de equipamento da escola. Ao mesmo tempo, o protagonista vê transformado o seu ressentimento com seu pai biológico, que nunca o viu, numa proposta de futuro, a descoberta de uma vocação, a partir da troca de correspondências com este; e h) À deriva (2009): as férias de verão de Filipa, 14 anos, em Búzios (RJ) são marcadas por baladas, luaus e novas amizades, mas também pela tensão durante a primeira noite de sexo, bem como pela crise que se instala nela e em seus irmãos pela separação dos seus pais.

7Iniciação erótica-sexual. a) Lição de amor (1975): ponto de partida para outros dramas que exploram a iniciação afetiva-erótica-sexual. São Paulo dos anos 1920. Felisberto, pecuarista e pequeno industrial que mora com a mulher e quatro filhos em bela casa, cercada de jardins, contrata por alto preço os serviços de Elza, uma governanta alemã, para iniciar seu filho adolescente nas ‘coisas da vida’, temendo as experiências que ele possa viver fora de casa. Carlos, adolescente perfeitamente normal, a princípio prefere o futebol de ruas às aulas de alemão e piano, mas acaba envolvido por Fräulein sem saber ainda que coisas eram aquelas que passara a sentir; b) O cortiço (1978): Pombinha, personagem secundária, filha de um rico empresário português no Brasil próximo à abolição da escravatura, é iniciada sexualmente por uma mulher mais velha com quem passa a viver; c) o filme A ostra e o vento (1997) dramatiza com delicadeza a chegada da pubescência em uma menina que vive com o pai, o faroleiro, e seu auxiliar, em uma ilha deserta sem qualquer contato com estranhos com exceção da equipe de reposição de mantimentos. Isolada em todos os sentidos, ela se acha apaixonada pelo vento, a quem chama de Saulo. Pensando se tratar de um homem de verdade que a teria desvirginado, o seu pai a mata, bem como ao suposto transgressor, um inofensivo doente mental; e d) Desenrola (2011): a protagonista, aos 16 anos, está ansiosa por ter a sua primeira experiência sexual completa com um colega de escola por quem está apaixonada, e vê a possibilidade de isso se realizar quando sua mãe resolve passar três semanas fora.

8Iniciação sexual traumátic. a) Nasce uma mulher (1983): Jô faz 16 anos e ganha uma festa de aniversário, mas a rebeldia própria da idade deteriora seu relacionamento com os pais, conservadores, e faz crescer o conflito de gerações a partir, principalmente, da discussão do tabu da virgindade. A mãe fica desesperada ao descobrir que a filha não é mais virgem, fato agravado pela passividade do pai; b) Com licença, eu vou à luta (1986): Eliane, uma menina de 15 anos, filha de um casal de classe média da Baixada Fluminense (um militar aposentado por desequilíbrio mental e uma mãe autoritária) se apaixona por Otávio, de 33 anos, ex-seminarista e desquitado. Os pais dela proíbem o relacionamento e ela os desobedece. Começa então um ciclo de pressões psicológicas; e c) Lua de outubro (1997) tem a sua segunda parte centrada no relacionamento entre um capitão republicano, saído da guerra de 1924 no Rio Grande do Sul, e uma adolescente recém-egressa de um colégio de freiras, onde fora estuprada durante a citada contenda. A trama se acentua quando o protagonista resolve afrontar todos que afirmam que a sua amada é louca.

9Adolescência como reação e rebeldia contra a autoridade paterna ou materna. Aspectos da rebeldia contra a autoridade paterna como um sintoma do conflito de gerações são o argumento-chave das ações e reações. Em termos mais gerais, nos filmes relacionados abaixo, o/a adolescente, em busca de sua independência, estaria, em termos psicanalíticos, lutando contra alguns sinais importantes que ainda o vinculariam à sua situação na infância, de infante (etimologicamente: sem fala), em síntese, buscando atenuar a sua ligação edípica. As caminhadas no sentido apontado acima poderiam provocar a reação dos pais que, aparentemente menos seguros e estáveis em suas posturas fundamentais até aqui, tenderiam a se revelar intransigentes, provocando, por seu turno, mais revolta nos seus filhos adolescentes: a) Marcelo Zona Sul (1970): rebelde sem causa, Marcelo é um jovem de 16 anos terrivelmente inquieto, que não leva nada a sério. Nas salas de aula, perde-se em conversa fiada, flertes desinteressados e pouca atenção ao estudo, transformando-se também em verdadeiro inferno para a família. Depois de algumas estripulias, o pai ameaça fazê-lo trabalhar. Marcelo e um amigo fogem de casa, rumo a São Paulo; b) André, a cara e a coragem (1971): André, de 17 anos, imigrante, tenta ganhar a vida no Rio de Janeiro sem ter qualquer habilitação profissional, morando numa pensão sórdida, frequentada por marginais. Ele arranja biscates, torna-se gigolô de uma idosa e termina se apaixonando por uma garota. Passa a se manter através do michê; c) Pra quem fica, tchau! (1971): Luizinho também vem do interior para estudar no Rio de Janeiro, indo morar com o primo Didi. Luizinho é órfão e traz consigo, além de muito dinheiro, uma carta do tio, responsabilizando Didi por sua educação. Didi se aproveita do dinheiro do primo e cria para ambos uma vida alegre de praia, garotas, paquera. Luizinho, aos poucos, vai se integrando à grande cidade e conhece Maria, seu primeiro amor, atormentada por um marido ciumento; d) Coração iluminado (1998): Juan, de 17 anos, entra em conflito com o pai e busca apoio afetivo no seu primeiro amor; e) Guerra de Canudos (1998): filha mais velha de agricultor sem-terra rebela-se contra o fato de ele seguir o séquito do líder religioso Antônio Conselheiro, abandona a família e se torna prostituta; f) Bicho de sete cabeças (2000): estudante secundarista de baixa classe média é internado pelo pai em hospital psiquiátrico como uma punição por seus atos de rebeldia. Filme baseado em fatos reais; g) Abril despedaçado (2001): o filho mais velho de um agricultor resolve se rebelar contra as ordens paternas de vingar a morte do seu irmão caçula numa espécie de vendetta, que se perpetuará por décadas; h) Lavoura arcaica (2001): adolescente apaixonado pela irmã vive uma existência amargurada diante da iminência de um incesto e dos constantes atritos com um pai rigoroso numa família rural de imigrantes libaneses no começo do século passado, fortemente presa a elementos da tradição; e i) Tropa de elite 2 (2012): em meio a um intenso thriller que denuncia a corrupção policial no Rio de Janeiro, esse filme trata com atenção o relacionamento difícil da personagem-protagonista, um coronel do BOPE, com o seu único filho em fase crítica de sua adolescência, que resolve se aproximar de seu padrasto, um opositor político do coronel.

10Adolescência como fase. Há ainda, em menor número, filmes de ficção em que há sequências importantes sobre uma fase da adolescência do protagonista, como se tem em Amor, estranho amor (1982). O seu protagonista, já na meia-idade, retorna à casa em que fora criado. Isso dá início a uma narrativa em flashback em que os dramas sofridos em sua adolescência têm um papel acentuado: as visões de adultos fazendo sexo, a sua sedução por uma mulher adulta e os seus sonhos eróticos envolvendo principalmente a sua mãe, a chamada “segunda situação edipiana”, tal como formulada por Sigmund Freud.

11 Adolescente imigrante. a) Menino do Rio (1981): a personagem que nos interessa aqui é um adolescente órfão que foge de um internato em Santa Catarina em direção ao Rio de Janeiro sem conhecer ninguém e sem recursos. Ele passa ser um agregado na casa da personagem-título, um surfista profissional em cuja companhia, e dos amigos dele, ele se desenvolve emocional e sexualmente; b) Bete balanço (1984): uma adolescente mineira vai para o Rio de Janeiro tentar a sorte como cantora de rock e acabando por se apaixonar um fotógrafo que está tentando denunciar a violência urbana e passa todas as desventuras de um artista em início de carreira; c) A cor do seu destino (1986): mais do que um imigrante, o protagonista é o filho de exilados políticos chilenos, vivendo no Rio de Janeiro, cujos atos de rebeldia extrapolam o ambiente familiar; eles se tornam atos políticos; d) O quinze (2003): o filho mais velho do patriarca entra no cangaço à revelia do pai. Ao aderir ao banditismo social, ele contesta a postura pacífica do seu pai, que não reage à sua situação de lavrador diante da impossível propriedade da sua lavoura; e) O caminho das nuvens (2003): filho mais velho de uma família que migra para o sudeste do Brasil se vê atônito com o despertar para o sexo, apaixona-se por uma prostituta e chega à adultez emergente após muito sofrimento.

12Romance de formação. Vale ainda se registrar nesta filmografia comentada que, nessa categoria narrativa, tem-se dois títulos: a) Menino de engenho (1965): enfatiza a adolescência do protagonista, principalmente a sua iniciação amorosa com uma prima da sua idade; e b) Miramar (1997): em que se narra como a personagem-título foi se aproximando de um envolvimento mais intenso com as artes até descobrir uma precoce vocação para ser cineasta.

13Adolescente gregário. Rolf Muuss, em Teorias da adolescência, afirma que o adolescente “deseja solidão e reclusão, mas se encontra emaranhado em paixonites e amizades. Nunca mais o grupo de companheiros de idade terá tamanha influência sobre o indivíduo”. Na maioria dos casos, no cinema brasileiro, esse gregarismo se mostra frequente na formação de gangues, como se tem no filme Barra pesada (1977): um pivete nascido no prostíbulo busca a qualquer preço a sua integração ao baixo mundo a que pertence.

14Adolescência como fatalidade. Em Cléo e Daniel (1970), os adolescentes do título formam um casal que, após experimentar drogas, conflitos de geração e incompreensão social, se mata diante de amigos.

15Adolescência como regressão. a) O filme Através da janela (1999) focaliza a estranha e trágica relação entre uma mãe, enfermeira aposentada, e seu filho de 24 anos, desempregado, que age como se fosse ainda um adolescente; b) o protagonista de Copacabana me engana (1969), aos 21 anos, vive como se estivesse em meio à adolescência: sem estudar, sem trabalhar e morando com os pais.

As cinebiografias: biopics

16Até aqui, destacamos a ênfase em representações de determinados aspectos do desenvolvimento adolescente de uma pessoa como um recurso para estabelecer uma de breve filmografia desse tema no cinema brasileiro de ficção entre os anos de 1953 e 2014. Em seguida, mudaremos esse procedimento, mencionando filmes em que a adolescência é um segmento importante do seu enredo. Um dado crucial desse conjunto de filmes é que a abordagem do adolescer é bastante ampla, comportando, na maioria dos casos, uma ampla gama de aspectos, diferentemente dos filmes citados até aqui, em que há a ênfase em um ou outro componente dos aspectos mais plásticos da psicologia do adolescente (Muuss,1974; Pfromm Netto, 1977; Caligaris,2013; Santrock,2014; Young, 2014), referencial fundamental para a montagem desse corpus.

Dois filhos de Francisco (2005) de Breno Silveira

Dois filhos de Francisco (2005) de Breno Silveira

17Trataremos muito esquematicamente de cinebiografias – o que os norte- americanos chamam de biopic [biographical pictures] – baseadas em livros de memórias, autobiografias e biografias propriamente ditas, incluindo aqui trajetórias de personalidade ainda vivas, como os cantores Zezé Di Camargo e Luciano, o escritor Paulo Coelho e o ex-presidente da República Luís Inácio “Lula” da Silva: a) Feliz ano velho (1988) tem início quando o protagonista, aos 20 anos, vivendo a “moratória existencial” própria a adolescentes abastados, sofre um acidente e se torna tetraplégico. A narrativa então recua para os seus anos de adolescência inicial, bem como para as suas lembranças do seu pai, o deputado Rubens Paiva, morto pela ditadura militar brasileira; b) Vida de menina (2004) dramatiza a adolescência inicial e a adolescência final de Helena, moradora de uma pequena cidade do interior de Minas Gerais, principalmente a sua relação com o seu pai, um explorador de diamantes nem sempre bem-sucedido. As suas memórias, de certa forma, constituem uma observação muito particular de algumas das consequências mais visíveis da abolição da escravatura e da proclamação da república no Brasil do século XIX; c) Cazuza–o tempo não para (2005) centra-se entre a adolescência inicial da personagem-título, um dos expoentes da música pop no Brasil nos anos 1980/1990, e a sua morte, resultado da contaminação pelo vírus da Aids. Há um destaque na a cena pop no Rio de Janeiro das décadas citadas e na trajetória de um menino talentoso, estimulado pelos seus pais, e do jovem rebelde, que transgride padrões culturais de sua classe social – média alta – e dos dispositivos legais; d) Dois filhos de Francisco (2005): uma fase importante da vida da dupla de artistas protagonistas Zezé Di Camargo e Luciano é a vida deles no campo, longe da escola, ajudando na renda da família proletária. A iniciação amorosa e sexual de ambos é tratada com um certo humor, mas a ênfase mesmo vai para a descoberta e o aperfeiçoamento de uma vocação para a música, no que eles são estimulados pelo pai agricultor. Talvez por esse aspecto, nesse filme, esteja longe uma tônica comportamental de narrativas sobre adolescentes ou sobre jovens: a rebeldia contra os pais; e) O contador de histórias (2009) é a dramatização dos momentos mais tensos e decisivos na trajetória de Roberto Carlos Ramos, um menino que é deixado pela mãe, solteira e favelada, numa entidade assistencial pública. Aos 13 anos, após várias fugas, por um acaso, ele acaba sendo adotado por uma pedagoga francesa que realiza pesquisas no Rio de Janeiro. A ênfase dessa narrativa é acentuar os componentes afetivos necessários para a transformação de um delinquente juvenil em um adulto responsável e produtivo; f) Lula, o filho do Brasil (2009) enfatiza o término da infância e a adolescência do ex-presidente do Brasil, destacando as dificuldades de sua absorção pelo mercado de trabalho inicialmente em Santos (SP), a severidade do seu pai, que mantinha simultaneamente duas famílias em São Paulo, e o relacionamento com os irmãos; g) em Confissões de adolescente (2013), baseado no livro de memórias homônimo de Maria Mariana, o núcleo básico é formado pela família de um advogado de meia-idade que, sozinho, cria três filhas adolescentes e ajuda na manutenção da única adulta, uma estudante de Direito. Cada uma delas vive os problemas da adolescência em intensidades variadas. O colégio que as três secundaristas frequentam também é um fornecedor de mais personagens com problemas específicos: há uma garota que se retrai devido a uma queimadura em uma parte do corpo, há um garoto que quer se aproximar de uma colega de sala, mas as coisas são dificultadas pela timidez dela. Em suma, tem-se um pouco dos ingredientes do típico filme de adolescentes hoje: as rivalidades entre as meninas, o primeiro beijo, a primeira relação sexual completa, o primeiro amor, o bullying, o uso sem parâmetros éticos das redes sociais e as dificuldades de relacionamentos com os pais; h) Somos tão jovens (2013): a história se detém na dramatização de aspectos da vida do falecido cantor e compositor brasiliense Renato Russo, tomando como ponto de partida o final de sua adolescência, aos 20 anos, quando, já inserido no mercado de trabalho como professor de Inglês e fazendo faculdade para se tornar diplomata, ele rompe com as expectativas dos seus pais e se torna músico profissional, participando da criação do rock de Brasília; e i) Não pare na pista (2014): biografia do escritor Paulo Coelho, esse filme é articulado com três narrativas que se desenvolvem em concomitância: a adolescência (a descoberta de uma vocação, o internamento em hospitais psiquiátricos, a submissão à terapia de eletrochoques, os primeiros empregos), a entrada no mundo adulto (a parceria musical com Raúl Seixas, o interesse por correntes místicas, o trabalho como executivo de uma gravadora) e a terceira idade, especialmente a sua vida conjugal. A montagem alternada desses três períodos da vida desse escritor busca frisar a recorrência de elementos importantes de sua visão de mundo em todos eles. Nesse filme, pode-se notar, talvez, a mais intensa dramatização de um dos mecanismos de defesa de que o ego pode se utilizar, segundo a psicanálise freudiana, através do ascetismo e da intelectualização: “O ascetismo no adolescente é devido à desconfiança generalizada de todos os desejos instintivos” (Muuss, 1974).

Desenrola (2011) de Rosane Svartman

Desenrola (2011) de Rosane Svartman

Lavoura arcaica (2009) de Luis Fernando Carvalho

Lavoura arcaica (2009) de Luis Fernando Carvalho

Meu tio matou um cara (2004) de Jorge Furtado

Meu tio matou um cara (2004) de Jorge Furtado

(A ostra e o vento (1997) de Walter Lima Jr

(A ostra e o vento (1997) de Walter Lima Jr

Paraísos artificiais (2012) de Marco Prado

Paraísos artificiais (2012) de Marco Prado
Top of page

Bibliography

Contardo Caligaris, Adolescência, Publifolha, São Paulo, 2013.

Rolf Muuss, Teorias da adolescência, Interlivros, Belo Horizonte, 1974.

Samuel Pfromm Netto, Psicologia da Adolescência, Pioneira, 6ª ed., São Paulo, 1977.

John W Santrock, Adolescência, Artmed/ McGraw Hill Education, 14ª ed., Porto Alegre, 2014.

Skip Young, A psicologia vai ao cinema, Cultrix, São Paulo, 2014.

Top of page

Annex

Ficha técnica dos filmes citados

À deriva (2009)
02 Filmes/ Focus Features/ Petrobrás, roteiro de Heitor Dhalia e Vera Egito, direção de H. Dhalia. Elenco: Vincent Cassel, Débora Bloch, Laura Neiva, Camilla Belle.

Abril despedaçado (2001)
Videofilmes, roteiro de Walter Salles, Sérgio Machado, Karim Ainouz, direção de W. Salles. Elenco: Rodrigo Santoro, Ravi R. Lacerda, José Dumont.

Abril despedaçado (2001)

Abril despedaçado (2001)

Amor, estranho amor (1982)
Cinearte Filmes / Álamo, roteiro e direção de Walter H. Khouri. Elenco: Tarcísio Meira, Xuxa Meneghel, Vera Fischer.

André a cara e a coragem (1971)
Lestepe Produções, roteiro e direção de Xavier de Oliveira. Elenco: Stepan Nercessian, Ecchio Reis, Maria Regina.

Antes que o mundo acabe (2009)
Casa de Cinema de Porto Alegre, roteiro de Ana Luiza Azevedo, Jorge Furtado e Giba Assis Brasil, direção de A. L. Azevedo. Elenco: Pedro Tergolina, Eduardo Cardoso, Bianca Menti, Caroline Guedes, Murilo Grossi.

Através da janela (2000)
A.F. Cinema e Vídeo, direção de Tata Amaral, roteiro de J.C. Bernardet, Fernando Bonassi e T. Amaral. Elenco: Laura Cardoso, Leona Cavalli.

Barra pesada (1977)
Ipanema Filmes, roteiro e direção Reginaldo Farias, baseado no livro
Nas quebradas da vida, de Plínio Marcos. Elenco: Stepan Nercessian, Kátia d’Ângelo, Reginaldo Faria.

Bete Balanço (1977)
CPC / Embrafilme, roteiro e direção de Lael Rodrigues. Elenco: Débora Bloch, Lauro Corona, Diogo Vilela, Maria Zilda, Cazuza, Barão Vermelho.

Bicho de sete cabeças (2001)
Roteiro de Luiz Bolognesi, inspirado no romance Canto dos malditos, de Austregésilo Bueno, direção de Laís Bodansky. Elenco: Rodrigo Santoro, Othon Bastos, Cássia Kis, Altair Lima, Caco Ciocler.

Bicho de sete cabeças (2001) de Laís Badansky

Bicho de sete cabeças (2001) de Laís Badansky

Borboletas também amam, as (1979)
Ventania Filmes/UCB, roteiro e direção de J. B. Tanko. Elenco: Paulo Porto, Neila Tavares, Nélia Paula, Angelina Muniz, Rossana Ghessa.

Bróder (2010)
Barraco Forte / Globo Filmes, roteiro e direção de Jeferson De. Elenco: Caio Blat, Jonathan Haagensen, Sílvio Guindane.

Bróder (2010) de Jeferson De

Bróder (2010) de Jeferson De

Caminho das nuvens, o (2003)
Riofilme/Globo Filmes, roteiro de David F. Mendes, direção de Vicente Amorim. Elenco: Wagner Moura, Cláudia Abreu, Ravi R. Lacerda.

Caminho dos sonhos (1998)
Amberg Filmes, roteiro e direção de Lucas Amberg, baseado no
romance homônimo de Moacir Scliar. Elenco: Thaís Araújo, Caco Ciocler, Caio Blat.

O canto do mar (1953)
Kino Filmes, roteiro de Alberto Cavalcanti, José Mauro de Vasconcelos, Hermilo Borba Filho, direção de A. Cavalcanti. Elenco: Aurora Duarte, Cacilda Lanuza, Margarida Cardoso.

Capitães da areia (1969)
A. Oliveira Produções, roteiro e direção de Hall Bartlett, baseado em romance homônimo de Jorge Amado. Elenco: Eliana Pittman, Rhonda Fleming, Dorival Caymmi.

Capitães da areia (2012)
Lagoa Cultural / Maga Filmes, roteiro de Cecília Amado e Hilton Lacerda, direção de C. Amado. Elenco: Jean-Louis Amorim, entre outros.

Capitães da areia (1969) de Jorge Amado

Capitães da areia (1969) de Jorge Amado

Cazuza. o tempo não para (2005)
Lereby Produções / Globo Filmes / Cineluz Produções / Columbia Tristar Film, roteiro de Fernando Bonassi e Victor Navas, inspirado pela biografia
Somente as mães são felizes, de Lucinha Araújo, direção de Sandra Werneck e Walter Carvalho. Elenco: Daniel de Oliveira, Marieta Severo, Reginaldo Faria, Andréa Beltrão Leandra Leal.

Cazuza. o tempo não para (2005) de Sandra Werneck et Walter Carvalho

Cazuza. o tempo não para (2005) de Sandra Werneck et Walter Carvalho

Cidade de Deus (2002)
02 Filmes/ Globo Filmes/ Video Filmes / Lumière, direção de Fernando Meirelles, roteiro de Braúlio Mantovanni, baseado no romance homônimo de Paulo Lins. Elenco: Leandro da Hora, Matheus Nachtergaele, Douglas Silva, Alice Braga.

Cidade de Deus (2002)

Cidade de Deus (2002)

Cidade dos homens (2007)
02 Filmes / Fox Film / Globo Filmes, roteiro de Elena Soárez, direção de Paulo Morelli. Elenco: Douglas Silva, Darlan Cunha, Jonathan Haagensen, Babu Santana.

Cidade dos homens (2007) de Paulo Morelli

Cidade dos homens (2007) de Paulo Morelli

Cléo e Daniel (1970)
Produx e Wallfilmes, direção e roteiro de Roberto Freire. Elenco: Chico Aragão, Irene Stefânia, John Herbert, Rodrigo Santiago, Haroldo Costa. Música-tema: “Rosa dos ventos” (Chico Buarque).

Colégio de brotos (1956)
Atlântida, direção de Carlos Manga, roteiro de Alinor Azevedo e Cajado Filho, direção de Carlos Manga. Elenco: Oscarito, Cyll Farney, Renato Restier.

Com licença, eu vou à luta (1986)
Produções R.F. Farias/Time de Cinema/Embrafilme, roteiro de Eliane Maciel e Lui Farias, direção de L. Faria, baseado em livro homônimo de E. Maciel. Elenco: Fernanda Torres, Marieta Severo, Reginaldo Faria, Paulo Porto.

Como nascem os anjos (1996)
Empório do Cinema/MinC/Banespa/Riofilme, roteiro de Murilo Salles, Jorge Duran, Aguinaldo Silva e Nelson Nadotti. Elenco: Priscila Assum, Sílvio Guindane, André Matos, Maria Sílvia.

Como nascem os anjos (1996)

Como nascem os anjos (1996)

Confissões de adolescente (2013)
Sony Pictures/Globo Filmes, roteiro de Matheus Souza, Sylvio Gonçalves, Euclydes Marinho, Ana M. Moretzsohn, direção de Cris D’Amato e Daniel Filho. Elenco: Sophia Abraão, Bella Camero, Malu Rodrigues, Clara Tiezzi, Cássio G. Mendes.

Confissões de adolescente (2013) de Daniel Filho

Confissões de adolescente (2013) de Daniel Filho

Contador de histórias, o (2009)
Ramalho Filmes/Nia Filmes/Warner Bros., roteiro de Maurício Arruda, José Roberto Torero, Mariana Veríssimo, Luiz Villena, baseado na história de Roberto Carlos Ramos. Elenco: Maria de Medeiros, Denise Fraga, Chico Diaz.

O contador de histórias (2009)

O contador de histórias (2009)

Copacabana me engana (1969)
Difilm, roteiro A. Costa, L. Serran e A. C. Fontoura, direção de Antônio Carlos Fontoura. Elenco: Carlo Mossy, Odete Lara, Cláudio Marzo, Paulo Gracindo.

Cor do seu destino, a (1986)
Nativa Filmes / Sky Light Cinema, direção de Jorge Duran. Elenco: Guilherme Fontes, Norma Bengell, Franklin Caicedo, Júlia Lemmertz, Andréa Beltrão, Chico Diaz, Antônio Grassi.

Coração iluminado (1998)
H.B. Filmes, roteiro de Hector Babenco e Ricardo Piglia, direção de H. Babenco. Elenco:
Xuxa Lopes e Miguel Angel Solá, entre outros.

Cortiço, o (1978)
Argus Filmes, roteiro e direção de Francisco Ramalho Jr. Elenco: Betty Faria, Mário Gomes, Armando Bogus, Beatriz Segall, Ítala Nandi, Maurício do Valle, Zaira Zambelli.

Desenrola (2011)
Downtown Filmes / Globo Filmes/ Riofilme, roteiro de Juliana Lins, Rosane Svartman, Paulo Halm, direção de R. Svartman. Elenco: Olívia Torres, Lucas Salles, Juliana Paiva.

Canudos (1998)
Roteiro de Sérgio Rezende e Paulo Halm, direção de S. Rezende. Elenco: Cláudia Abreu, Paulo Betti, Marieta Severo, Selton Mello, José Wilker, Roberto Bomtempo.

Feliz ano velho (1982)
Tatu Filmes/ Quanta Filmes/ Transvídeo/ 5.6 Produções/ Embrafilme, roteiro e direção de Roberto Gervitz, baseado no livro de memórias homônimo de Marcelo Rubens Paiva. Elenco: Marcos Breda e Malu Mader, entre outros.

Inocência (1983)
L. C. Barreto Produções, roteiro de Lima Duarte e Walter Lima Jr., baseado em romance homônimo do Visconde de Taynay, direção de W. Lima Jr. Elenco: Fernanda Torres, Edson Celulari, Sebastião Vasconcelos.

Houve uma vez dois verões (2003)
Casa de Cinema de Porto Alegre / Columbia Tristar, direção e roteiro de Jorge Furtado. Elenco: Ana M. Mainieri, André Arteche, Pedro Furtado
.

Lavoura arcaica (2009)
LFC Produções /Videofilmes, roteiro e direção de Luiz Fernando Carvalho, inspirado no romance homônimo de Raduan Nassar. Elenco: Selton Mello, Raúl Cortez, Simone Spoladore, Leonardo Medeiros, Juliana Carneiro da Cunha.

Lição de amor (1975)
LC Barreto Produções, direção de Eduardo Escorel, roteiro de Eduardo Coutinho e E. Escorel, baseado no romance
Amar, verbo intransitivo, de Mário de Andrade. Elenco: Lilian Lemmetz, Marcos Taquechel, Rogério Fróes, Irene Ravache.

Lua de outubro (1997)
Pampeana Produções, direção de Henrique Lima, roteiro de Alfredo Sirkis. Elenco: Marcos Winter, Roberto Bomtempo.

Lula, o filho do Brasil (2009)
.C. Barreto, roteiro de Fernando Bonassi e Denise Paraná, direção de Fábio Barreto e Marcelo Santiago. Elenco: Rui Diaz, Glória Pires, Juliana Baroni.

Marcados para viver (1976)
Rosário Produções /Kiko Filmes, roteiro e direção de Maria do Rosário. Elenco: Waldir Onofre, Tessy Calado, Louise Cardoso, Ruy Polanah, Luiz Carlos Lacerda.

Marcelo Zona Sul (1970)
Lestepe Produções / Ipanema Filmes, roteiro e direção de Xavier de Oliveira. Elenco: Stepan Nercessian, Françoise Forton.

Marcelo Zona Sul (1970) de Xavier de Oliveira

Marcelo Zona Sul (1970) de Xavier de Oliveira

Menina do lado, a (1987)
Embrafilme, direção de Alberto Salvá, roteiro de A. Salvá e Elisa Tolomelli. Elenco: Reginaldo Faria, Flávia Monteiro, Débora Duarte, Tânia Scher, Adriano Reys.

Menino de engenho (1965)
Mapa Filmes, roteiro e direção de Walter Lima Jr., baseado em romance homônimo de José Lins do Rego. Elenco: Geraldo Del Rey, Anecy Rocha, Maria Lúcia Dahl, Antônio Pitanga, Rodolfo Arena, Margarida Cardoso.

Menino do Rio (1981)
L.C. Barreto Prod., roteiro de Antônio Calmon e Bruno Barreto, direção de A. Calmon. Elenco: André de Biase, Cláudia Ohana, Ricardo G. Mello.

Meu tio matou um cara (2004)Miramar (1997)
Movie Track Filmes, direção e roteiro de Júlio Bressane. Com João Rebello, Giulia Gam, Diogo Vilela, Louise Cardoso, Fernando Torres.

Não pare na pista- A melhor história de Paul Celho (2014)
Dama Filmes / G5 Evercore / Babel Films, roteiro original de Carolina Kotscho, direção de Daniel Augusto. Elenco: Júlio Andrade, Ravel Andrade, Lucci Ferreira, Fabíula Nascimento, Enrique Diaz.

Nas quebradas (2014)
Spray Filmes / Globo Filmes, roteiro de Marcelo Vindicatto, direção de Fernando Andrade. Elenco: Jean-Louis Amorim, Felipe Simas, Domenica Dias, Daiana Andrade, Marcelo Mehiel, Jorge Dias

O nas quebradas (2014)

O nas quebradas (2014)

Nasce uma mulher (1983)
Embrafilme, roteiro de Roberto Santos e Amílcar Claro, direção de R. Santos. Elenco: Marlene França. David José, Miriam Muniz, Liana Duval, Juliana Carneiro da Cunha.

A ostra e o vento (1997)
Ravina Produções, roteiro de Walter Lima Jr. e Flávio Tambellini Jr, direção de W. Lima Jr., baseado no romance homônimo de Moacir Lopes. Elenco: Leandra Leal, Lima Duarte, Fernando Torres. Música de Wagner Tiso, direção de fotografia: Pedro Farkas.

Paraísos artificiais (2012).
Roteiro de Cristiano Gualda, Pablo Padilla e Marcos Prado, direção de M. Prado. Elenco: Nathália Dill, Luca Bianchi e Lívia de Bueno.

Pra quem fica, tchau! (1971)
Prod. R. F. Farias, roteiro e direção de Reginaldo Faria. Elenco: Reginaldo Faria, Stepan Nercessian, Rosana Tapajós, José Lewgoy, Irma Alvarez, Tânia Scher, Wilza Carla, Paulo Porto.

Quinze, o (2002/2003)
Pipa Filmes, roteiro e direção de Jurandir Oliveira. Elenco:
J. Oliveira, Sôra Lira, Maria Fernanda.

Som ao redor, o (2013)
Cinemascópio / Funcultura / Petrobrás, roteiro e direção de Kléber Mendonça Filho. Elenco: Irandhir Santos, Gustavo Jahn, Maeve Jinkings, W. J. Solha.

O som ao redor (2012) de Kleber Mendonça Filho

O som ao redor (2012) de Kleber Mendonça Filho

O som ao redor (2012) de Kleber Mendonça Filho

O som ao redor (2012) de Kleber Mendonça Filho

Somos tão jovens (2013)
Twentieth Century Fox, direção de Antônio Carlos da Fontoura, roteiro de Marcos Bernstein. Elenco: Thiago Mendonça, Marcos Breda.

Somos tão jovens (2013) de Antonio Carlos Fontoura

Somos tão jovens (2013) de Antonio Carlos Fontoura

Sonhos roubados (2009)
Cineluz Produções / Europa Filmes, direção de Sandra Werneck, roteiro de Paulo Halm, M. Franz, A. Falcão, J. Joffily, M.Dias, S. Werneck. Elenco: Nanda Costa, Amanda Diniz, Kika Farias, Marieta Severo, Daniel Dantas, Ângelo Antônio, MV Bill.

Trem para as estrelas, um (1987)
CDK Produções / Skylight Cinema, roteiro de Carlos Diegues e Carlos Lombardi, direção de C. Diegues. Elenco: Guilherme Fontes, Zé Trindade.

Tropa de elite 2 (2012)
Globo Filmes, roteiro de Bráulio Mantovanni e José Padilha, direção de J. Padilha. Elenco: Wagner Moura e outros.

Vida de menina (2004)
Radiante Filmes / Petrobrás, roteiro de Elena Soárez e H. Solberg, baseado no livro homônimo de Helena Morley, direção de H. Solberg. Elenco: Ludmila Dayer, Dalton Vigh.

Top of page

List of illustrations

Title Dois filhos de Francisco (2005) de Breno Silveira
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-1.jpg
File image/jpeg, 448k
Title Desenrola (2011) de Rosane Svartman
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-2.jpg
File image/jpeg, 340k
Title Lavoura arcaica (2009) de Luis Fernando Carvalho
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-3.jpg
File image/jpeg, 88k
Title Meu tio matou um cara (2004) de Jorge Furtado
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-4.jpg
File image/jpeg, 404k
Title (A ostra e o vento (1997) de Walter Lima Jr
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-5.jpg
File image/jpeg, 248k
Title Paraísos artificiais (2012) de Marco Prado
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-6.jpg
File image/jpeg, 272k
Title Abril despedaçado (2001)
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-7.jpg
File image/jpeg, 116k
Title Bicho de sete cabeças (2001) de Laís Badansky
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-8.jpg
File image/jpeg, 412k
Title Bróder (2010) de Jeferson De
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-9.jpg
File image/jpeg, 256k
Title Capitães da areia (1969) de Jorge Amado
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-10.jpg
File image/jpeg, 396k
Title Cazuza. o tempo não para (2005) de Sandra Werneck et Walter Carvalho
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-11.jpg
File image/jpeg, 84k
Title Cidade de Deus (2002)
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-12.jpg
File image/jpeg, 404k
Title Cidade dos homens (2007) de Paulo Morelli
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-13.jpg
File image/jpeg, 316k
Title Como nascem os anjos (1996)
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-14.jpg
File image/jpeg, 100k
Title Confissões de adolescente (2013) de Daniel Filho
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-15.jpg
File image/jpeg, 356k
Title O contador de histórias (2009)
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-16.jpg
File image/jpeg, 352k
Title Marcelo Zona Sul (1970) de Xavier de Oliveira
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-17.jpg
File image/jpeg, 100k
Title O nas quebradas (2014)
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-18.jpg
File image/jpeg, 92k
Title O som ao redor (2012) de Kleber Mendonça Filho
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-19.jpg
File image/jpeg, 736k
Title O som ao redor (2012) de Kleber Mendonça Filho
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-20.jpg
File image/jpeg, 364k
Title Somos tão jovens (2013) de Antonio Carlos Fontoura
URL http://cinelatino.revues.org/docannexe/image/1784/img-21.jpg
File image/jpeg, 282k
Top of page

References

Bibliographical reference

Júlio César Lobo, « O adolescente no cinema brasileiro de ficção 1953-2014 », Cinémas d’Amérique latine, 23 | 2015, 26-35.

Electronic reference

Júlio César Lobo, « O adolescente no cinema brasileiro de ficção 1953-2014 », Cinémas d’Amérique latine [Online], 23 | 2015, Online since 28 December 2016, connection on 17 August 2017. URL : http://cinelatino.revues.org/1784 ; DOI : 10.4000/cinelatino.1784

Top of page

About the author

Júlio César Lobo

Júlio César Lobo é crítico cinematográfico, professor-associado III de Cinema da Universidade Federal da Bahia (Brasil) e professor-titular aposentado da Universidade do Estado da Bahia. Autor de Cinema e sociedade no Brasil: análise de mensagens (no prelo pela EDUFBA) e coautor de Gláuber, a conquista de um sonho: os anos verdes (1995), História e cinema (2011) e de mais uma dezena de livros. É doutor em Estética do Audiovisual pela Universidade de São Paulo (2002) com uma tese sobre a representação do correspondente de guerra em cinco filmes contemporâneos. Entre outubro de 2000 e julho de 2001, foi Junior Visiting Scholar do Instituto de Estudos Latino-americanos (ILAS) da Universidade do Texas em Austin (EUA).

Top of page

Copyright

Licence Creative Commons
Cinémas d’Amérique latine est mis à disposition selon les termes de la licence Creative Commons Attribution - Pas d'Utilisation Commerciale - Pas de Modification 4.0 International.

Top of page
  • Logo Presses universitaires du Midi
  • Revues.org